Fonte: OpenWeather

    Doações


    Equipe de robótica monta biblioteca para indígenas no Amazonas

    A entrega da biblioteca aconteceu no último sábado (30) em duas escolas municipais indígenas no município de Careiro da Várzea

    Manaus -  Indígenas de escolas do Amazonas terão acesso à biblioteca. Alunos da equipe de robótica Team Prodixy, da escola SESI Draª Êmina Barbosa Mustafa, arrecadaram cerca de 500 livros, a maioria do gênero infanto-juvenil, para a criação de uma biblioteca comunitária em duas escolas municipais indígenas no Careiro da Várzea, município localizado a 29 quilômetros da capital.

    As doações aconteceram na escola do SESI, localizada na avenida Cosme Ferreira, bairro Aleixo, Zona Centro-Sul de Manaus, entre os dias 11 e 20 de novembro.

    A ação deu início ao projeto “Biblioteca Sem Fronteiras” do grupo, que visa levar e estimular a leitura em crianças com acesso precário a livros nas escolas, além do estímulo às tecnologias.

    O primeiro município contemplado foi o Careiro da Várzea e a entrega aconteceu no último sábado (30), nas Escolas Municipais indígenas Joana da Silva e Santo Antônio. Durante a visita, o grupo realizou oficinas de robótica para os alunos e professores dos locais. 

    De acordo com a líder da equipe, Valeska Gonçalves Mendes, de 15 anos, a iniciativa surgiu após a participação do grupo na competição de robótica FIRST Tech Challenge, um programa internacional que desafia as equipes a projetar, construir, programar e operar robôs para competir em um desafio frente-a-frente em um formato de aliança. Além de estimular o interesse da comunidade local pelas tecnologias STEM (Science, Technology, Engineer and Math), em português brasileiro: Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática. 

    “Além do estímulo à leitura, nosso objetivo com esta ação é também envolver a comunidade com as tecnologias [STEM], então pensamos: ‘por que não criar uma biblioteca em uma comunidade que não tem tanto acesso à leitura?'. A robótica nesse contexto, acima de tudo, não é só o interesse do aluno por montar robôs, ela também agrega uma série de fatores em todas as disciplinas, e contribui para que o aprendizado seja mais dinâmico e interessante, começando pela base de tudo: a leitura”, explicou a estudante. 

    A equipe é composta por sete integrantes e um técnico mentor: Glauco Soprano, José Cavalcante, Valeska Mendes, Vitor Gabriel, Stephanie Vitoria , Camyle Lauana, Nelson Keiji e Noemia Duarte. Todos tiveram a ajuda dos demais estudantes, pais de alunos e professores da escola na arrecadação do material. 

    Para o professor Glauco Soprano, de 34 anos, a fase infantil é o melhor momento da vida para desenvolver a imaginação e criatividade. “São habilidades do futuro que foram esquecidas de certa forma, ou deixamos de exercitar pela nossa sociedade” disse. 

    "Nós gostaríamos de agradecer ao prefeito do município Careiro da Várzea, o sr. Ramiro Duarte de Araujo, que acreditou no trabalho da equipe e nos convidou para realizar este desafio", agradeceu Soprano.

    Team Prodixy

    O time constrói e programa robôs para participar de competições Regionais e Nacionais. Com a mentoria de seus técnicos, as equipes têm a missão de desenvolver startups para arrecadar fundos, promover e comercializar a marca da sua equipe. Além disso, os alunos têm o compromisso de realizar trabalhos em sua comunidade para promover ações educacionais com o foco nas áreas STEM (Science, Technology, Engineer and Math), compartilhando conhecimentos e  práticas de princípios de engenharia, enquanto percebem o valor do trabalho árduo, da inovação e do trabalho em equipe. 

    Você pode acompanhar o trabalho da equipe por meio do instagran: @teamprodixy.am

    Comentários