Fonte: OpenWeather

    Pandemia


    No AM, destaque à ciência amplia busca por cursos de Saúde na pandemia

    Cursos como Medicina e Enfermagem estão entre os mais procurados pelos estudantes de Manaus

    Na rede privada, Enfermagem e Medicina encabeça lista de interesse | Foto: Michell Mello/ Secom

     

    Na rede privada, Enfermagem e Medicina encabeça lista de interesse
    Na rede privada, Enfermagem e Medicina encabeça lista de interesse | Foto: Michell Mello/ Secom

    Manaus - Em destaque por causa da pandemia da Covid-19, profissionais da área da saúde e pesquisadores têm inspirado jovens na hora de escolher o curso superior. Na pandemia, a busca dos manauaras pelas graduações na área de Saúde cresceu, acelerando uma tendência de aumento do interesse por cursos como Medicina e Técnico de Enfermagem.

    O vírus que mudou a vida de vários manauaras e também no mundo, resultou em novos hábitos. Médicos, psicólogos e enfermeiros também tiveram impacto, mas em momento como esse, são uma das áreas mais necessitadas pela sociedade.  

    Das cinco faculdades de Manaus consultadas pelo EM TEMPO, uma delas registrou o aumento de 11% no número de matrículas nos cursos de saúde durante a pandemia. Somente na área da saúde, foram matriculados 3,6 mil alunos em 2019 e 4 mil em 2020. A maior procura foi pelo curso Técnico em Enfermagem, que é considerado carro-chefe, com 2.714 (em 2019) e 3.068 (em 2020).

     

    A reitora do Centro Universitário Fametro, Maria do Carmo Seffair, destaca que a alta demanda é uma tendência que deve se manter mesmo após a pandemia
    A reitora do Centro Universitário Fametro, Maria do Carmo Seffair, destaca que a alta demanda é uma tendência que deve se manter mesmo após a pandemia | Foto: Arquivo Pessoal

    A reitora do Centro Universitário Fametro, Maria do Carmo Seffair, destaca que a alta demanda é uma tendência que deve se manter mesmo após a pandemia. Na Faculdade, entre os cursos da área da saúde que apresentaram alta procura no último ano estão Medicina e Enfermagem.

    Para ela, reflexos da pandemia serão sentidos ainda durante muito tempo, exigindo profissionais capacitados para atender as necessidades da população em vários segmentos da saúde.

    “A Organização Mundial da Saúde (OMS) já considerava que doenças psicológicas, como a depressão e ansiedade, teriam grande incidência neste século. Com a atual situação de pandemia, a tendência é que essas doenças aconteçam com mais frequência”, afirma. 

     

    A pandemia de coronavírus evidenciou ainda mais a necessidade de profissionais na área da saúde, foi o que confirmou a diretora-geral da instituição, Amanda Estald
    A pandemia de coronavírus evidenciou ainda mais a necessidade de profissionais na área da saúde, foi o que confirmou a diretora-geral da instituição, Amanda Estald | Foto: Arquivo Pessoal

    A Faculdade Santa Teresa incluiu em seu portfólio no último semestre os cursos de Enfermagem e Farmácia.

    A pandemia de coronavírus evidenciou ainda mais a necessidade de profissionais na área da saúde, foi o que confirmou a diretora-geral da instituição, Amanda Estald.  “São mais pessoas atuando na assistência de saúde, no desenvolvimento de pesquisa e empreendendo na área”.

    Destaque nos cursos de Enfermagem e Psicologia

    De 2019 para 2020, uma outra faculdade privada, situada na Zona Centro-Sul de Manaus, também registrou aumento de mais de 16% nas matrículas  no curso de Enfermagem. Já em psicologia, o número foi superior a 40%. O atendimento virtual na clínica de psicologia oferecido pelo local, também colabora com esse protagonismo.

    Para outra universidade localizada na Zona Sul e Norte de Manaus, no ano de 2020, os dez cursos com maior número de inscritos foram, em ordem:  Enfermagem, Psicologia, Odontologia, Educação Física, Fisioterapia, Biomedicina e Farmácia.

    Já a Universidade Estadual do Amazonas (UEA) em nota enviada ao EM TEMPO, informou que houve um menor número de inscritos nos cursos quando comparado a 2019.  No entanto, os cursos de Medicina, Enfermagem e Odontologia estão com maior número de inscritos. 

    Pensando no futuro

     

    Das cinco faculdades de Manaus consultadas pelo EM TEMPO, uma delas registrou o aumento de 11% no número de matrículas nos cursos de saúde durante a pandemia
    Das cinco faculdades de Manaus consultadas pelo EM TEMPO, uma delas registrou o aumento de 11% no número de matrículas nos cursos de saúde durante a pandemia | Foto: Lucas Silva/Secom

    A demanda por profissionais de saúde não acabará tão cedo. Os reflexos da pandemia podem permanecer por anos, visto que ainda é uma doença que continua sendo estudada, a saúde será fundamental para a sociedade.

    Para Ricardo Pereira, que se inscreveu para o curso de Técnico de Enfermagem, a área de saúde pode ter grande expansão na cidade de Manaus, visto que com a pandemia as pessoas irão procurar por atendimento de saúde.

    “Acredito que mesmo depois que a pandemia terminar, vamos ter um alto número de busca por profissionais da saúde. As pessoas ainda vão buscar tratamentos e ainda têm as outras doenças. É uma área que eu já pensava em fazer, nesse momento delicado que vivemos, se tornou uma das minhas metas”, revela Ricardo. 

     

    Segundo pesquisa da Luandre, empresa especializada em recrutamento e seleção, divulgada pela Você S/A da Editora Abril, a busca por profissionais da saúde, nos quatro primeiros meses de 2020 cresceu 165%
    Segundo pesquisa da Luandre, empresa especializada em recrutamento e seleção, divulgada pela Você S/A da Editora Abril, a busca por profissionais da saúde, nos quatro primeiros meses de 2020 cresceu 165% | Foto: Divulgação

    Segundo pesquisa da Luandre, empresa especializada em recrutamento e seleção, divulgada pela Você S/A da Editora Abril, a busca por profissionais da saúde nos quatro primeiros meses de 2020 cresceu 165% quando comparado com o mesmo período do ano passado. Além disso, entre fevereiro e março, as vagas na área da saúde tiveram um salto de 677%. 

    Leia Mais:

    No Brasil, mais de 14 milhões de famílias vivem na extrema pobreza

    Epidemia oculta: saúde mental na era do novo coronavírus

    Dados sobre coronavírus no interior do AM podem estar incorretos

    Comentários