Fonte: OpenWeather

    Solidariedade


    Papai Noel fora de época: 'bom velhinho' trabalha o ano inteiro no AM

    Loránd Jelényi e a esposa, Dora Bernardes, se dedicam a fazer o bem e levar alegria para as crianças em comunidades ribeirinhas do Amazonas

    Dora e Loránd vivem a alegria do Natal durante o ano inteiro. | Foto: Jakeline Xavier

    Manaus - O espírito natalino de paz, alegria e comunhão dura o ano inteiro para o casal Loránd Jelényi, 49, e Dora Bernardes, 45. O húngaro e a brasileira se conheceram após uma grande tragédia que assolou suas famílias, a morte de seus companheiros. Juntos há 10 anos, o Papai e a Mamãe Noel se dedicam a fazer o bem o ano inteiro.

    "Ser Papai Noel não é para qualquer um"

    Imagina o cenário. Música natalina, muito calor, crianças gritando e horas de trabalho. Esta é a rotina daqueles que escolhem trabalhar neste ramo. “Durante horas você faz as mesmas coisas, as mesmas perguntas. Tem que atender todo mundo bem”, explica Loránd. 

    No início pode parecer desconfortável, mas a parte gratificante compensa tudo. Loránd e Dora têm o hábito de ler todas as cartinhas que recebem. “Eu geralmente separo as cartas daqueles que realmente precisam”, diz Dora.

    Diante de tantos pedidos, eles guardam as cartas e distribuem entre amigos, vizinhos e pessoas conhecidas. Durante o ano inteiro, eles se dedicam a atender os pedidos das cartas, especialmente daqueles que deixam endereço e telefone. Afinal, como conta a Mamãe Noel, "não é só no Natal que as pessoas precisam de ajuda''.

    A Mamãe Noel revela emocionada que existem crianças que já pediram coisas como rancho, material escolar, tênis para ir à escola e até pedidos que, infelizmente, nem sempre podem ser atendidos, como o de uma carta que pedia para que a mãe parasse de sofrer violência doméstica e uma outra em que a criança pedia para parar se ser abusada. “A gente se emociona muito”. 

    Outra história marcante é a de um menino autista, que ia todo dia ver o Papai Noel no shopping, pedindo por uma bicicleta azul. Loránd teve a ideia de começar a cobrar pelos vídeos que fazia para o Brasil inteiro, com mensagens especiais para as crianças. A partir do dinheiro arrecadado, ele conseguiu presentear o pequeno. “Este ano pediram muitas cadeiras de roda. Se eu conseguisse dez cadeiras ainda seriam poucas”.

    Ano passado, quando aconteceu o incêndio no Educandos, o casal também se dispôs a ir até o local para levar esperança para as famílias que foram atingidas pela tragédia. “Fomos dizer para as crianças que elas podiam continuar acreditando”. 

    O casal acredita que o Papai Noel não é uma pessoa de 'carne e osso', mas sim um espírito que habita dentro de cada um. “É disso que o mundo precisa, que um ajude o outro. O Papai Noel tem que levar amor o ano inteiro, não só no Natal”, diz a Mamãe Noel.  

    Caminho sem volta 

    “Não tem mais como não dizer que eu não sou o Papai Noel, por onde ando as pessoas já me reconhecem”, conta Loránd. A intenção agora é usar o estilo de vida de aventureiro para viver o Natal o ano inteiro. 

    Esta é realmente uma profissão que Loránd e Dora pretendem seguir. A cabeleireira e o comerciante se conheceram há 10 anos, quando eram viúvos e acreditam que estão juntos por uma razão, fazer o bem. “Às vezes eu acho que tudo que aconteceu na nossa vida foi para que nós pudéssemos fazer isso”, diz Dora. 

    A Mamãe Noel tem três filhos e o Papai Noel tem dois. A mais nova com 18 anos e o mais velho com 30. Além da renda de Papai Noel, eles se mantêm com recursos de investimentos antigos em pensão e imóveis. 

    “Eu me apaixonei porque ele é uma pessoa desapegada, sempre faz o bem sem olhar a quem”, conta Mamãe Noel. 

    O húngaro, que é fluente em nove línguas, veio ao Brasil em 1991. Em 1993, passou a morar em Manaus. O objetivo era ficar apenas de passagem, já que conheceu o Brasil inteiro e pretendia ir para Colômbia e Venezuela. Acabou ficando por aqui quando conheceu a mãe de seus filhos. 

    Como tudo começou 

    O nome deste Papai Noel é complicado mesmo. No Brasil, ele é chamado por amigos e familiares de Lorenzo, mas a tradução correta do seu nome é Orlando. A carreira como “Bom Velhinho” começou há quatro anos, com uma proposta publicitária de um amigo de uma das filhas do casal, que trabalhava em um grande shopping da cidade. “Ele estava procurando alguém para ser Papai e Mamãe Noel, como ele sabia que eu topava qualquer coisa, logo me convidou”, conta a Mamãe Noel, Dora Bernardes. 

    A proposta acabou não dando certo, pois na época Loránd não tinha uma barba grande suficiente. Sendo assim, Dora acabou recusando o convite. “Não aceitei porque se eu for Mamãe Noel, tem que ser com meu Papai Noel”.

    A viagem que mudou tudo

    O casal fez uma viagem de 22 dias pelo interior do Amazonas e do Pará.
    O casal fez uma viagem de 22 dias pelo interior do Amazonas e do Pará. | Foto: Jakeline Xavier

    No mesmo ano, em 2016, Loránd e Dora fizeram uma viagem de carro pelo interior do Amazonas e do Pará, levando presentes e fazendo caridade nas cidades do interior, já como Papai e Mamãe Noel.  Durante 22 dias, o casal tinha como lar o Jeep vermelho, onde fizeram todo o percurso passando por cidades como Humaitá (AM), Apuí (AM), Alenquer (PA), Santarém (PA) e Jacareacanga (PA). “A gente viu até índios pirarrãs, que nem sabiam falar português”, conta o Papai Noel.

    A aventura foi marcada por histórias emocionantes, como a de um menino que tinha um anjinho de Natal quebrado. Ele foi tremendo até Loránd entregar seu bibelô, pois tinha certeza de que ele era o Papai Noel e que poderia consertá-lo. “Quando a gente chegava nessas localidades as crianças já diziam: olha o Papai Noel", diz Loránd.

    "O interior é uma coisa tão espetacular que a gente não precisava ir para hotel, as pessoas nos levavam para suas casas e nos davam comida”, compartilha a Mamãe Noel. 

    A partir daí as coisas ficaram sérias e Loránd fez um curso no Rio de Janeiro para se aprimorar. 

    Terra do Papai Noel

    Casal conheceu a Terra do Papai Noel e fez sucesso com caracterização temática.
    Casal conheceu a Terra do Papai Noel e fez sucesso com caracterização temática. | Foto: Divulgação

    Uma das grandes conquistas do casal foi a viagem que fizeram este ano para a Finlândia, a Terra do Papai Noel. Foi a primeira viagem internacional da Mamãe Noel, que até chorou emocionada ao ver a neve pela primeira vez. 

    Comentários