Fonte: OpenWeather

    Acima da média nacional


    No Amazonas, setor de serviços cresce 3,9% em novembro de 2020

    O setor de serviços do Amazonas registra variação positiva de 3,9% em novembro de 2020 em relação ao mesmo período em 2019. No entanto, o volume de vendas no acumulado do ano apresenta queda de -0,3%

     

    O setor de serviços do Amazonas está na 5ª posição entre as demais unidades da federação
    O setor de serviços do Amazonas está na 5ª posição entre as demais unidades da federação | Foto: Divulgação/Agência Brasil

    Manaus – Apesar da crise pandêmica, o resultado do volume do setor de serviços no Amazonas superou as expectativas. Em novembro de 2020, o setor cresceu 3,9% em relação ao mesmo período de 2019, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), divulgados nesta quarta-feira (13). O supervisor de Disseminação do IBGE Amazonas, Adjalma Nogueira, afirma que o crescimento foi acima da média nacional.

    Além do avanço no mesmo período de um ano para o outro, a Pesquisa Mensal dos Serviços, apresentada pelo IBGE, também mostra uma superação de um mês para o outro. Em novembro de 2020, o volume do setor de serviços foi de 3,7%, frente a outubro do mesmo ano, na série com ajuste sazonal. No entanto, no acumulado do ano, a taxa foi de -0,3% em relação ao mesmo período do ano anterior. Já na soma dos últimos doze meses, o indicador do índice foi de 0,5%.

    Sobre o resultado negativo, Adjalma Nogueira espera que, ao fechar o último mês do ano, o cenário mude. “O resultado de novembro para a atividade de serviços foi bastante positivo para o Amazonas, com o crescimento acima da média nacional. Embora o acumulado de 2020 ainda permaneça negativo, há uma boa expectativa para que o resultado de dezembro ajude o indicador a fechar o ano positivamente”, declara.

    Nogueira ainda ressalta que as incumbências voltadas às famílias e às pessoas são as mais fortes atividades, compensando os outros serviços que tiveram dificuldade de funcionamento e operação. No acumulado do ano, ele ainda confirma as informações de que o Estado teve o melhor desempenho entre todas as unidades da federação do país.

     

    Os melhores desempenhos no setor de serviços foram  no Acre, com 9,0%, em Alagoas, com 8,7%, e Pernambuco, com 5,2%
    Os melhores desempenhos no setor de serviços foram no Acre, com 9,0%, em Alagoas, com 8,7%, e Pernambuco, com 5,2% | Foto:

    Colocação do Amazonas no ranking

    Ainda em uma boa colocação, o setor de serviços do Amazonas está na 5ª posição entre as demais unidades da federação por conta da variação percentual, que compara o volume de serviços do mês atual com o mês anterior, de 3,7%, obtida em novembro 2020.

    Os piores desempenhos foram observados no Distrito Federal, com -9,9%, Mato Grosso do Sul, com -5,7%, e Roraima, com -4,0%. E os melhores desempenhos, no Acre, com 9,0%, Alagoas, com 8,7%, e Pernambuco, com 5,2%.

    Em todas as unidades da federação, a variação percentual acumulada no ano de todas as unidades da federação registrada em novembro de 2020, que compara o volume de serviços do período atual com o mesmo período do ano anterior, foi negativa. O Amazonas registrou uma variação de -0,3%; a menor variação negativa. Os piores desempenhos foram os de Alagoas, com -17,7%, Rio Grande do Norte, com -16,0%, e Bahia, com -16,0%. As variações menos negativas ficaram por conta do Amazonas, com -0,3%, Rondônia, com -0,6% e Pará, com -1,2%.

    Receita Nominal

    A receita nominal aumentou 3,2%, em novembro de 2020, em relação ao mês anterior, em outubro de 2020. Na comparação com o mesmo mês do ano anterior, o setor de serviços no Amazonas aumentou 3,5%. No acumulado do ano, o setor registrou -0,4% em relação ao mesmo período do ano anterior. Já no acumulado dos últimos doze meses, o indicador aumentou 1,0%. A receita nominal não leva em conta a inflação do período.

    A variação percentual, que compara a receita nominal dos serviços do mês atual com a receita do mês anterior, de 3,2%, obtida em novembro 2020, posicionou o setor de serviços do Amazonas na 7ª posição entre as outras unidades da federação. Os piores desempenhos foram os do Distrito Federal, com -10,0%, Roraima, com -6,1% e Mato Grosso do Sul, com -4,5%. E os melhores desempenhos, os do Acre, com 11,0%, Alagoas, com 7,3%, e Pernambuco, com 5,0%.

    Já a intercorrência acumulada no ano, que compara a receita nominal de serviços do período atual com o mesmo período do ano anterior, foi de -0,4%, obtida em novembro 2020. Os piores desempenhos foram os do Alagoas, com -16,9%, Bahia, com -15,6%, e Sergipe, com -15,0%. Quase todas as unidades da federação registraram variação acumulada negativa, a única exceção foi Mato Grosso do Sul; porém com um valor de 0%.

     *Com informações da assessoria


     Leia mais:

    Em Manaus, contratações temporárias para o Natal tem queda de 50%

    Setor de serviços avança 5,4% no Amazonas

    Atenção: Amazonas vai contratar 2,8 mil professores temporários



    Comentários