Fonte: OpenWeather

    Saúde Feminina


    Antibiótico pode cortar a eficácia da pílula anticoncepcional?

    Gravidez indesejada é uma preocupação para muitos casais, principalmente para as mulheres. Por isso, é importante estar sempre atenta aos perigos das misturas de remédios. Ginecologista responde!

    Os antibióticos ou antimicrobianos podem afetar ação das pílulas hormonais pela interação medicamentosa existente entre eles, podendo ocasionar uma gravidez não planejada
    Os antibióticos ou antimicrobianos podem afetar ação das pílulas hormonais pela interação medicamentosa existente entre eles, podendo ocasionar uma gravidez não planejada | Foto: Reprodução/ Internet

    Uma dúvida que ronda a cabeça de todas as mulheres quando o assunto é antibiótico é: ele corta ou não o efeito da pílula anticoncepcional? Para o ginecologista e obstetra Thiago Gester a resposta é sim.

    A quantidade de hormônio atual das pílulas anticoncepcionais é a mínima necessária para manter sua eficácia e evitar efeitos colaterais. Porém, é justamente essa característica que pode trazer alguns problemas.

    Quais antibióticos cortam o efeito?

    Até hoje, um único tipo de antibiótico diminui o efeito contraceptivo da pílula comprovadamente. Segundo dados de estudos científicos, o antibiótico utilizado para tratamento da tuberculose, a rifampicina, causou esse efeito colateral.

    Segundo Gester afirmou que há apenas um antibiótico que comprova a diminuição da eficácia, chamado rifampicina.

     “O único antibiótico que comprova a diminuição da eficácia do anticoncepcional segundo a literatura é a rifampicina, que é um usado para o tratamento da Tuberculose”, explica.

    O médico pontuou que outros antibióticos também merecem atenção especial, como ciprofloxacina e amoxacilina. “Todo mundo diz que outros antibióticos também podem fazer diminuir o efeito, tipo, Ciprofloxacino, Amoxacilina, Azitromicina, Metronidazol”, revela.

    Resolver o problema é simples

    Basta usar um método anticoncepcional de barreira (preservativo feminino e masculino, diafragma, esponja contraceptiva e espermicida) durante o uso do antimicrobiano e também uma semana depois, sem parar de tomar a pílula. Essa é a forma mais segura e que evita uma concepção fora dos planos.

    Quando ficar doente lembre-se disto

    Mesmo que você esteja tomando rifampicina, estar doente afeta o seu corpo e a mente. Quando se está doente é fácil perder a noção do tempo e das responsabilidades e pode acontecer de esquecer de tomar sua pílula (ou outro medicamento diário). Use o aplicativo para configurar lembretes de pílulas para que te ajude a lembrar de tomar a pílula anticoncepcional diariamente e à mesma hora.

    Cuidados

    Gester também explicou que o antibiótico pode resultar em atrasos menstruais ou escapes durante o período em que a mulher não estiver grávida.

    Leia Mais:

    Grávidas: ginecologista recomenda comer pipoca na gravidez

    O que é o bioma uterino e quando é necessário se preocupar?

    TPM: veja os exercícios simples para diminuir a cólica

    Comentários