Fonte: OpenWeather

    Manaus


    Falta de higiene e estrutura da Feira Manaus Moderna espantam clientes

    A falta de estrutura, ausência de higiene e segurança, além da desorganização e trânsito caótico nas proximidades, espantam os clientes da maior feira de Manaus

    Há alguns anos, o retrato da feira era diferente. Muitas pessoas visitavam o local diariamente
    Há alguns anos, o retrato da feira era diferente. Muitas pessoas visitavam o local diariamente | Foto: Michael Dantas/Arquivo


    Manaus - Localizada às margens do Rio Negro, a Feira Municipal Manaus Moderna, depois de longos anos sendo um ponto de referência para quem procurava hortifrútis mais baratos, já não recebe tantos clientes. A população reclama de preços altos dos produtos, falta de estrutura no local, segurança, além da falta de higiene na exposição dos alimentos. 

    Basta dar um pulo na orla da cidade, onde fica o mercado popular, para se deparar com muita sujeira ao redor, sem falar da dificuldade com o trânsito. Esse e outros cenários dão "as boas vindas" (ou não), logo "de cara", para quem chega na capital amazonense. O local que antes era reconhecido pelo grande movimento de pessoas, hoje é alvo de "olhares tortos" por parte dos consumidores mais exigentes, que prima pela qualidade e variedade dos produtos produzidos no Amazonas, sem perder o preço atrativo. 

    Ainda há pessoas que optam por comprar os produtos na feira
    Ainda há pessoas que optam por comprar os produtos na feira | Foto: Ione Moreno


    "Olha o peixe..."

    A área da feira é disputada por turistas, clientes, vendedores ambulantes, carregadores, moradores de rua, passageiros das embarcações e permissionários, que conquistam os clientes aos berros. Todos os dias, dezenas de barcos atracam ao longo da orla de Manaus e é de lá que vêm a maioria do público consumidor da feira.

    A reportagem foi à feira e questionou todos os públicos que frequentou ou ganham a vida no local. Entre os pontos relevantes a serem melhorados estão: mais segurança, melhorias no trânsito, a construção de um porto exclusivo para os feirantes e outro para passageiros.

    A Manaus Moderna é a maior feira cobertura da cidade
    A Manaus Moderna é a maior feira cobertura da cidade | Foto: Ione Moreno


    Segundo relatos dos poucos clientes que a equipe de reportagem conseguiu localizar na feira, a limpeza é um dos pontos mais questionados.

    “Essa área precisa de limpeza. Nós percebemos que há fora da feira muitas lixeiras, com alimentos podres. O odor é insuportável, e nos faz questionar sobre a exposição e qualidade desses alimentos”, conta a doméstica Leonilia Batista, 64.

    Leonilia Badista costuma ir à feira toda quinzena e faz críticas ao abandono do local
    Leonilia Badista costuma ir à feira toda quinzena e faz críticas ao abandono do local | Foto: Ione Moreno


    A cliente conta que vai à feira da Manaus Moderna, de 15 em 15 dias, para comprar verduras e frutas. Após sair do mercado, a dona de casa costuma fazer o trajeto até o Porto de Manaus, onde ela compra açaí.

    Ela relata que antes comprava de sete em sete dias, mas com a crise financeira, passou a ir com menos frequência ao local.

    Preço alto

    No mercado é possível encontrar a maior variedade de pescado da região
    No mercado é possível encontrar a maior variedade de pescado da região | Foto: Arthur Castro


    O autônomo Edson Viana compra há cinco anos na Feira da Manaus Moderna. Como comprador fiel, ele percebe que os preços não são os mesmos de antes e relata dificuldade na logística do transporte público para chegar ao local.

    "A parada de ônibus fica muito longe da feira. Eu só venho aqui mesmo porque compro algumas verduras para vender no meu mercadinho, mas a feira precisa melhorar. Basta dar uma olhada na estrutura para você perceber que a Manaus Moderna, que não tem nada de moderna, deixa a desejar. A estrutura do espaço é ruim, as paredes estão velhas e falta uma pintura no local”, relatou.

    Edson Vieira é pedreiro e falou sobre a qualidade dos alimentos
    Edson Vieira é pedreiro e falou sobre a qualidade dos alimentos | Foto: Ione Moreno

    A dona de casa Marleide Santos, 34, não pensa diferente dos demais entrevistados. Ela vem do distrito de Janauarí (distante a 22 quilômetros de Manaus), junto com sua família, para comprar alimentos na feira Manaus Moderna.

    No local onde mora não há mercadinhos que vendam alimentos diversos. Então, pelo menos uma vez no mês, ela vem até Manaus com o único objetivo de comprar o rancho mensal na feira. Para Marleide, a falta de higiene dos alimentos é o principal fator que a incomoda.

    A família de Marlene Santos vem a Manaus periodicamente para comprar os alimentos
    A família de Marlene Santos vem a Manaus periodicamente para comprar os alimentos | Foto: Ione Moreno


    “Eu acho que esta feira deveria ser mais organizada. Deveria haver um órgão da saúde para fiscalizar a vendas dos alimentos, principalmente aqueles perecíveis. Eu percebo que os peixes são expostos de qualquer jeito. Não sei quantos dias estão aqui e eles ficam expostos com moscas pousando no alimento. Além disso, os jalecos dos feirantes são imundos”, diz.

    E o que dizem os feirantes?

    Francisco Rodrigues tem 75 anos e reclama da diminuição dos clientes
    Francisco Rodrigues tem 75 anos e reclama da diminuição dos clientes | Foto: Ione Moreno


    vendedor ambulante Kennedy Alencar conta que a limpeza é questão de conscientização da população. Ele acredita que a disponibilização de placas e mais lixeiras em torno da feira resolveria parte do problema.

    “Devido ao lixo que fica acumulado, o odor é bem grande. As pessoas precisam conscientizar em não sujar a nossa cidade”, diz.

    O feirante Francisco Farias conta que vende verduras na feira desde que o espaço foi fundado e tem percebido uma diminuição da clientela em quase 70%.

    “Antes era bem movimentado, hoje nossos produtos estragam porque as pessoas não vêm comprar. É difícil para nós que vivemos disso”.

    Francisco Farias é um dos vendedores da Feira Manaus Moderna
    Francisco Farias é um dos vendedores da Feira Manaus Moderna | Foto: Ione Moreno


    Outro feirante que percebeu essa diminuição da clientela é Francisco Rodrigues, 75. 

    “São vários fatores que podem ter levado a diminuição da clientela. Um deles é a crise econômica que o país passa. Além disso, as próprias instalações precisam de uma reforma e as paredes precisam ser mantidas limpas. Aqui dentro há muitas goteiras e transportadores de carrinhos que prejudicam o percurso do cliente”.

    Com o carrinho vazio, o transportador José Fábio Nascimento, de 48 anos, esperava a chegada de clientes para não voltar para casa com os bolsos vazios. Ele estava ao lado de outros transportadores, parados na porta do "mercadão".

    José Fabio Nascimento transporta alimentos no carrinho Manaus Moderna
    José Fabio Nascimento transporta alimentos no carrinho Manaus Moderna | Foto: Ione Moreno


    “Os melhores dias de movimento são na quinta, sexta e sábado. O movimento nos outros dias cai bastante. Eu tenho três carrinhos que transportam os alimentos dos barcos para dentro da feira, mas nos últimos dias está bem devagar”.

    Solução prevista por um especialista na área

    Para o arquiteto e urbanista Claudemir Andrade, a solução seria fazer um estudo específico para melhorar a feira e ao redor dela.

    “Nós, como moradores da cidade, para fazermos compras na feira, temos dificuldades em chegar até lá. A parada de ônibus é longe e quem vem de carro passa um bom tempo rodando até conseguir uma vaga para estacionar. A acessibilidade é muito prejudicada. E não há no local, uma política de carga e descarga com horários específicos”.

    Para ele, a política do uso do solo está atrelada a acessibilidade e ao transporte como um todo.

    O movimento na feira da Manaus Moderna caiu drasticamente nos últimos anos
    O movimento na feira da Manaus Moderna caiu drasticamente nos últimos anos | Foto: Ione Moreno

    “É preciso criar um estacionamento, facilitar a entrada e saída. Nós temos um complexo portuário belíssimo, com uma monstruosidade tremenda, você vai naquele galpão e não tem nada. O ideal seria dar uma funcionalidade para aqueles espaços, você pode montar um restaurante regional, um ateliê e shows musicais. Mas devido à falta de tudo isso, hoje as pessoas preferem ir a uma feira que fica dentro de um shopping, do que passar um sufoco no Centro de Manaus”.

    Revitalização da Manaus Moderna

    Em julho de 2015, o prefeito de Manaus Artur Neto (PSDB) lançou o projeto de revitalização da orla da Manaus Moderna, cuja obra estava avaliada em R$ 950 mil.

    Ao redor da feira é possível verificar lixeiras, esgoto a céu aberto e oforte odor
    Ao redor da feira é possível verificar lixeiras, esgoto a céu aberto e oforte odor | Foto: Marcely Gomes


    O projeto contemplava a recuperação de todo o pavimento asfáltico, a implantação de iluminação LED (Led Light Emitting Diode), novo mobiliário urbano, faixas para pedestres no modelo “traffic calming” (faixas de pedestres com ponto de travessia elevado), sinalizações horizontais e verticais, restauração das calçadas com espaço mais amplo para passeio, instalação de guarda-corpo, entre outras melhorias na infraestrutura da orla.

    Entretanto, até março de 2019, nada foi feito. A reportagem questionou a prefeitura de Manaus para saber o que seria realizado e quando serão iniciadas as próximas etapas da obra.

     Obras da orla

    A região da Manaus, que compreende a orla e a feira, já deveriam ter recebido a recuperação
    A região da Manaus, que compreende a orla e a feira, já deveriam ter recebido a recuperação | Foto: Marcely Gomes


    A Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) informou, por meio de nota, que a pasta executa periodicamente a manutenção na área da Manaus Moderna pela atuação das equipes do distrito de obras da zona Sul. 

    “Recentemente, a Seminf atuou também na recuperação de drenagem profunda na Rua Barão de São Domingo, além dos serviços básicos executados na área. No entanto, devido à grande movimentação no espaço e à ação de vândalos que depredam o patrimônio, faz-se necessário constante levantamento das necessidades do espaço, o que já vem sendo realizado pelas equipes de campo”.

    Segurança na Manaus Moderna

    Os usuários reclamam da falta de segurança em toda a região da Manaus Moderna
    Os usuários reclamam da falta de segurança em toda a região da Manaus Moderna | Foto: Marcely Gomes


    Em janeiro de 2018, a Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP-AM) lançou o projeto  “Manaus Moderna”, que garantia maior segurança com a regularização dos carregadores de cargas e guardadores de veículos. A ideia previa que eles começariam a trabalhar com colete e crachá de identificação, fornecidos pela secretaria.

    A reportagem questionou a SSP-AM para saber como está as ações deste projeto. A área da Manaus Moderna, segundo o órgão, é atendida pela 24ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) diuturnamente. 

    Conforme informações do comandante da 24ª Cicom, major Franklin Terto, no policiamento ordinário são designados policiais militares fixos que conhecem a área e os feirantes que trabalham no local. Também há um trabalho de policiamento preventivo, a pé, por militares do Cosme e Damião, e patrulhamento ostensivo pela ação "Monte Cristo". 

    Plano para reduzir o desperdício de alimentos

    Os feirantes reclamam da baixa procura na feira
    Os feirantes reclamam da baixa procura na feira | Foto: Arquivo Em Tempo


    O titular da Secretaria de Produção Rural do Amazonas (Sepror) anunciou plano para reduzir a quantidade de alimentos que são desperdiçados nas mais de 45 feiras ativas na capital amazonense. A estimativa do desperdício de alimentos foi divulgada pelo secretário da Sepror, Petrúcio Magalhães.

    O secretário não deu um prazo para implantar o plano, porém indicou que diálogos técnicos estão sendo feitos para ampliar, em Manaus, o projeto Mesa Brasil do Serviço Social do Comércio (Sesc).

    Na proposta do titular, um sistema de triagem para frutas e hortaliças fora dos padrões de venda, mas com boas para o consumo, pretende escoar o que é desperdiçado. O projeto piloto deverá ser implantado na Feira da Manaus Moderna, a maior no armazenamento de produtos alimentícios e na movimentação comercial, nos próximos meses.

    Os feirantes contam como ganham o sustento na maior feira da cidade
    Os feirantes contam como ganham o sustento na maior feira da cidade | Foto: Marcely Gomes


    Projetos

    A arquiteta Natália Almeida  informou ao EM TEMPO que faculdades de arquitetura de Manaus  realizaram projetos belíssimos para a área, com a retirada da feira para outro local. O espaço seria transformado em um ponto turístico a exemplo da Estação das Docas, em Belém, mas os projetos não são aproveitados pelas autoridades.

    Para a arquiteta há muito interesse comercial, inclusive de lojistas que ocupam as ruas nas proximidades da feira.

    "Eles não têm interesse na retirada da feira porque muitas pessoas que vão comprar no local  e no mercado acabam comprando também nas lojas deles, principalmente clientes que buscam mercadorias para levar para o interior do Estado. Como as autoridades não tomam providências, a população precisa conviver com aquele lugar sujo, mal cuidado e que deve impressionar até os turistas pela desorganização", finalizou. 

    Edição: Bruna Souza

    Leia Mais

    Vazante deixa alimentos até 140% mais caros na Manaus Moderna

    Vazante prejudica vendas na orla da Manaus Moderna

    Vídeo: Verduras e frutas ficam mais caras no Amazonas

    Comentários