Fonte: OpenWeather

    Investigações


    Casa de grávida encontrada morta é examinada pela policia em Manaus

    Equipe médica do SPA da Alvorada identificaram hematomas no corpo da mulher e acionaram a polícia

    A perícia criminal foi até a casa da grávida em busca de informações
    A perícia criminal foi até a casa da grávida em busca de informações | Foto: Jhonata Lobato / Em Tempo
     

    Manaus - Policiais da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) e peritos do Departamento de Polícia Técnico-Científica (DPTC) estiveram na casa de Gabriela Monteiro Pedrosa, de 27 anos,  que foi encontrada morta na noite desta terça-feira (10), para coletar mais informações que levem ao esclarecimento da morte.

    Gabriela estava grávida de sete meses e foi encontrada desacordada pelo marido em sua residência, localizada na rua 7, bairro Alvorada 2, Zona Centro-Oeste da Capital. 

    O marido ligou para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), e os agentes constataram a ausência de sinais vitais na gestante, mas a família insistiu que eles levassem Gabriela para o Serviço de Pronto Atendimento (SPA) da Alvorada.

    "Em algumas ocorrências os familiares não aceitam o quadro de morte que o paciente se encontra, então eles insistem que a gente encaminhe o ente para um hospital, e, às vezes, para não sermos agredidos, nós levamos", disse uma agente do Samu, que preferiu não se identificar.

    Os familiares não se pronunciaram sobre o caso
    Os familiares não se pronunciaram sobre o caso | Foto: Jhonata Lobato / Em Tempo
     

    No SPA, os profissionais de saúde  da unidade identificaram hematomas no corpo da gestante e  acionaram os policiais da 10ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), para comparecerem  à ocorrência incomum. 

    Os policiais civis da DEHS também compareceram ao SPA para apurar mais informações com os médicos que atenderam a vítima. Os vizinhos da vítima também foram ouvidos. 

    Os agentes do DPTC fizeram a perícia do corpo ainda na unidade de saúde e, em seguida,  liberaram o corpo para remoção do Instituto Médico Legal (IML). 

    Funcionários do IML removeram o corpo do necrotério do SPA
    Funcionários do IML removeram o corpo do necrotério do SPA | Foto: Jhonata Lobato / Em Tempo
     

    "Não identificamos nada suspeito na casa, nenhum sinal de briga, mas, somente com o resultado do exame de necropsia do IML, saberemos o que de fato aconteceu", disse um policial que pediu anonimato.

    Os familiares não quiseram falar sobre o caso e, a todo momento, ameaçaram a equipe de reportagem do Portal Em Tempo que estava no local.

    Comentários