Fonte: OpenWeather

    Notas de Contexto


    Plínio bate até em Leonardo Di Caprio, Gisele Bündchen e Madonna

    Plínio chama de “histérica” a postura de artistas famosos mundialmente que vieram em defesa da floresta

    Plínio Valério condena a reação de artistas internacionais que condenaram as queimadas | Foto: Malika

    Que o presidente Bolsonaro não compreenda as gravidades dos incêndios na floresta amazônica e recuse ajuda internacional para o Fundo da Amazônia, e também do G-7, até que é compreensível, embora não seja aceitável.

    Agora, um político amazonense, caboclo da Amazônia, como o senador Plínio Valério (PSDB-AM) ser contra isso é quase incompreensível para não dizer “insuportável”.

    O senador está de acordo com a decisão do governo brasileiro de recusar a ajuda de 20 milhões de euros oferecida pelos países do G7.

    — O país não precisa de esmola, e sim de amizade! – dispara Valério.

    O tucano não fica por aí. Ele também condena a reação de artistas internacionais que condenaram as queimadas.

    “Histeria”

    Valério questionou, ainda, a razão de a ajuda ocorrer apenas agora.

    — Por que a ajuda vem após os escândalos e essa histeria que se prega? –, cutuca.

    Não poupa ninguém

    Plínio chama de “histérica” a postura de artistas famosos mundialmente que vieram em defesa da floresta, como Madonna, Leonardo Di Caprio, passando por artistas brasileiros, como Gisele Bündchen e Anitta.

    Caboclo sonhador

    Eleito com a bandeira de “caboclo sonhador”, Plínio diz que “todo mundo falando que a Amazônia está sendo queimada”.

    — Esse pessoal não conhece a Amazônia! –, detona.

    Esse cara sou eu

    O empresário Romero Reis continua alardeando aos quatro cantos ser o candidato do presidente Jair Bolsonaro (PSL) à Prefeitura de Manaus, em 2020.

    Com ares de campanha, tem usado sua posição de vice-presidente do Conselho de Desenvolvimento Econômico, Sustentável e Estratégico de Manaus (Codese) para fazer campanha antecipada.

    “Homem de Bolsonaro”

    Reis tem visitado diversos bairros da cidade além de promover ações com diversos segmentos da sociedade.

    Onde não tem fumaça...

    Foi ele quem trouxe a líder do Governo Federal, a deputada Joice Halsselmann (PSL-SP) para sobrevoar a Amazônia.

    Digo, Tefé, onde não havia fumaça, logo não tinha fogo.

    ... Não tem fogo!

    É claro que em Tefé não tem queimada e Romero Reis sabia disso por isso levou a líder do governo pra lá.

    As queimadas ocorrem com mais gravidade no Sul do Amazonas em municípios como Apuí, Humaitá e Lábrea, além do Estado de Rondônia

    Marcelo sobe o tom

    Quieto durante o primeiro semestre do ano, o vereador Marcelo Serafim (PSB) voltou do recesso mais incisivo nos seus posicionamentos na Câmara Municipal de Manaus. Há duas semana, culpou o vice-governador do Amazonas, Carlos Almeida (PRTB) pela atual crise vivida na saúde do estado.

    Na mesma semana teve uma discussão com a categoria de biomédicos que participaram de uma tribuna popular na casa legislativa.

    Lá vem o novo, de novo!

    Em conversa com a CONTEXTO, Marcelo Serafim, que é presidente estadual do PSB, falou sobre o cenário das eleições municipais do ano que vem.

    Na avaliação dele, o eleitor buscará um candidato “novo e com experiência administrativa”.

    Barbas de molho

    De babas de molho, o eleitor já está meio ressabiado com essa “onda do novo”, que vem frustrando muitas expectativas nas últimas eleições.

    Desça do palanque

    Aliás, o próprio Marcelo é um crítico da gestão de Jair Bolsonaro (PSL) ao dizer que o presidente precisa descer do palanque e governar para todos.

    Sarafa Jr. disse que o capitão precisa descer do palanque e governar para o Brasil inteiro e parar de achar que deve falar só para o seu eleitor.

    — É constrangedor ver um presidente com as atitudes que ele tem tomado ultimamente -, afirmou.

    Cortes à vista

    É cada vez mais forte o rumor de que o governador Wilson Lima (PSC) mandará à Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) um projeto que une as secretarias de educação, esporte e cultura.

    Super-Nogueira

    Se confirmada a fusão, Vicente Nogueira será o supersecretário da pasta com os atuais chefes da pasta de cultura, Marcos Apolo Muniz, e esporte, Caio André, sendo remanejados para secretários adjuntos.

    E o salário, Ó!

    A mudança vai culminar num corte brusco nos salários deles.

    Atualmente um secretário tem remuneração de R$ 26 mil e um adjunto R$ 12 mil.

    Você decide

    Por conta das obras do Complexo Viário Roberto Campos, na avenida Constantino Nery, o controlador-geral do município, Arnoldo Gomes Flores, deu a opção aos servidores da pasta de chegar mais cedo para poder sair mais cedo e evitar a hora do rush no trânsito.

    Dessa forma, quem decide é o próprio servidor. Ou chega às 7h30 ou 8h na sede da secretaria.

    Austeridade

    A Comissão Geral de Licitação do Estado do Amazonas (CGL-AM) economizou R$ 229 milhões aos cofres públicos de janeiro a agosto de 2019.

    Com isso, mantém o compromisso de trazer economia ao erário nos certames realizados pelo órgão.

    PCC do Paraguai...

    Presos que fazem parte da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) tentaram fugir do Centro de Reabilitação Social de Itapúa, uma penitenciária no Paraguai, na última quinta-feira (5).

    ...Toca terror!

    Durante a tentativa de fuga, os detentos fizeram agentes penitenciários e outros internos de reféns.

    Rebelião

    Os criminosos conseguiram chegar a um veículo fora da cadeia, mas, aparentemente, tiveram a fuga frustrada e iniciaram a rebelião na unidade prisional.

    Comentários